Polícia alagoana investiga suposta morte provocada pelo "Baleia Azul"

A delegada Maria Aparecida, titular do 8º Distrito Policial (8º DP) irá iniciar ainda esta semana as investigações sobre a verdadeira motivação da morte do estudante M.G.M.T.S., de 15 anos. Existem suspeitas que a morte do adolescente tenha acontecido ele praticar a fase final do jogo "Baleia Azul".

O garoto foi encontrado enforcado dentro do quarto onde dormia, na casa dos pais, no Conjunto Benedito Bentes, parte alta de Maceió.

O pai do adolescente, que não teve o nome divulgado, falou para policiais da Delegacia de Homicídios (DH) que o filho saiu de casa na manhã da terça-feira (9) indo para a escola, retornando por volta do meio-dia, quando tomou banho, almoçou e foi para o quarto alegando que ia dormir e depois estudar.

“Ele era um menino que não tinha problemas. Ele brincou com a gente na hora do almoço e em nenhum momento apresentou algum problema. A noite fui levar a mãe dele ao trabalho e quando voltei chamei ele para jantar... chamei várias vezes e ele não respondia. Bati na porta do quarto e nada dele responder, foi ai que arrombei e vi meu filho pendurado”, disse o homem que desesperado e acreditando que o jovem ainda estivesse vivo levou o corpo para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Ao serem comunicados do fato policiais de plantão da DH foram a casa onde aconteceu a tragédia e lá constataram que na tela do computador do jovem estava escrito "Game Over", que em Português significa 'acabou'. Outro detalhe encontrado pelos policiais que a o nó da corda usada para o jovem se enforcar foi feito por alguém que sabia o que estava fazendo.

A delegada confirmou que inicialmente vai convocar os pais do garoto e não descarta encaminhar o computador da vítima para que seja periciado no Instituto de Criminalística (IC).

O misterioso jogo, que foi criado na Russia, ganhou repercussão no Brasil no início do mês passado, quando uma adolescente de 16 anos foi achada morta dentro de uma represa no pequeno município de Vila Rica (Mato Grosso). Ela deixou para trás cartas onde falava sobre as regras do desafio, uma lista de tarefas com cronogramas marcados, e cortes nos braços e nas pernas. Desde então, uma série de informações desencontradas começaram a circular sobre o desafio.

O Ministério da Justiça (MJ) tem colhido informações de vários casos de jovens, em diversas cidades do país, que também teriam tirado a própria vida após chegarem a última fase do jogo.

Compartilhar

Comentários