Após votar por Temer, Cícero Almeida diz ter sido agredido por procuradora estadual

Após votar pela rejeição da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, o deputado federal alagoano Cícero Almeida disse que está sofrendo represálias.

Nesta segunda-feira (07), Cícero Almeida lamentou, ao vivo, durante uma entrevista de rádio, que foi vítima de calúnias por parte de uma procuradora do Estado de Alagoas e que tem sido ‘execrado’ nas redes sociais. “Estou pagando caro por isso, mas não me arrependo de jeito nenhum”, afirmou o deputado sobre o voto.

Almeida é um dos quatro deputados alagoanos que votaram pela recusa, juntando-se à maioria da Câmara que aprovou por 263 a 227 o relatório que recomendou ao plenário a rejeição da denúncia. Agora a acusação contra Temer está parada no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Eu nunca participei de nenhuma reunião ou negociata com o presidente, mas acho que temos que agir de forma descente e na hora que votei eu condicionei também a minha gratidão pela forma que o presidente tem tratado o Estado de Alagoas”, defendeu o deputado afirmando que só quem pode julgar o presidente é a Justiça, a partir de janeiro de 2019.

O deputado disse ainda que embora não faça mais parte do PMDB, mantém compromisso com o governador Renan Filho e com o senador Renan Calheiros, mas que a relação não o influenciou no posicionamento. “É um compromisso aberto, mas meu voto foi para preservar meu estado”, justificou alegando que votou com independência.

Compartilhar

Comentários

Últimas Notícias

Publicidade